SAC (44) 3112-0000

Problema, tempestade ou marolinha? (Parte 2)

Postado em 16 de janeiro de 2013 por Redação

Continuando nosso tema devemos observar outros pontos importantes do estilo de vida que levamos, este olhar para nossa vida, nos ajuda a encontrar erros que precisam ser reparados, como estamos ainda no início do ano o melhor que temos a fazer é terminar este autoexame do estilo de vida e traçar metas para o ano de 2013.

A vida agitada das grandes cidades, o mundo capitalista a necessidade de produzir mais em menos tempo, tem gerado uma ansiedade e um nível de estresse elevado, mal sabem que muito da ansiedade que carregamos todos os dias, está diretamente ligada à falta de vitamina D circulando na corrente sanguínea. Está vitamina é um importante protetor cerebral e que ajuda a consolidar a memória, nos dá uma maior capacidade de concentração e aquieta os nervos agitados.

A vitamina D é produzida quando nos expomos ao sol, porém está exposição precisa ser no sol do meio dia até as 14h, no horário de verão das 13 – 15h, o tempo deve ser de 20 min. pelo menos quatro vezes por semana, como dissemos no início do texto a vida moderna muitas vezes impossibilita está prática gerando a necessidade de realizar a suplementação caso contrário muitos problemas decorrentes da baixa concentração da vitamina D começarão a aparecer.

Outra prática simples que precisamos adotar é respirar, mas espera ai, eu respiro o tempo todo e nem preciso pensar para fazê-lo, ai está o grande problema, conforme os anos passam nos esquecemos de como é respirar de maneira adequada. A respiração diafragmática que realizávamos quando criança caiu no esquecimento assim que abandonamos a prática de exercício físico, ou a partir do momento que perdemos a oportunidade de nos sentarmos em meio à natureza, sem pensar nos problemas e tranquilamente respirar o ar puro que exala dos poucos bosques ainda presentes nas grandes cidades.

Com relação à natureza o que temos feito, destruímos, poluímos e poucos pensaram nos benefícios que ela pode nos trazer até o momento que nos tornamos irritadiços, estressados e sem a menor condição de agir pela razão quando temos problemas para resolver e então recorremos a uns treinamentos onde executivos e empresários são levados à natureza para enfrentar os seus desafios. Na verdade o que era preciso era se retirar do seu habitat atual para o seu habitat natural e receber todos os benefícios que este local tem para oferecer, ar puro, luz solar, água fresca, repouso ao som da natureza, o céu estrelado a luz solar e o caminhar observando as belezas criadas por Deus para nosso deleite.

E falando em Deus, como está seu relacionamento com Ele? Pesquisas científicas publicadas na Scientific American demonstram que aqueles que fazem preces e meditam nas palavras de Deus descrita na bíblia recebem inúmeros benefícios alguns como: calma, lucidez, melhor capacidade de concentração, redução da ansiedade e do estresse, ajudam a controlar a raiva e outras emoções negativas, e ainda possibilitam o controle da pressão sanguínea.

Encerre este autoexame verificando como está o nível de ingestão de estimulantes. Nós não precisamos ingerir estes compostos, mas é claro que quando nos permitimos experimentar por algumas vezes nos tornamos viciados e seremos dependentes destes a partir deste ponto.

Devemos nos manter longe dos seguintes compostos, café, chás (mate, verde, preto, vermelho, branco e amarelo), refrigerantes a base de cola e guaraná, energéticos, cigarros e bebidas alcóolicas além das drogas ilícitas, todas trazem um falso bem estar e uma falsa capacidade de produzir mais. Depois do uso destes estimulantes vem uma sensação de fadiga e prostração o que gera a necessidade de usar novamente. As pessoas que costumam usar estimulantes sofrem de dor de cabeça quando a substância não é ingerida, isso demonstra sinais de dependência, escolha neste ano rever seu estilo de vida e que entre suas resoluções de inicio de ano o abandono dos estimulantes esteja presente na sua lista.

 

Por Dr. Ricardo Vargas de Andrade
Nutricionista
CRN-1 5804

0 Comentários
Deixe o seu comentário!