SAC (44) 3112-0000

Depressão sazonal. Você sabe o que é?

DEPRESSÃO-SAZONAL-VOCÊ-SABE-O-QUE-É
Postado em 17 de abril de 2014 por Editorial

Durante o ano o sol fica mais próximo ou se afasta da Terra dependendo da estação do ano, isso afeta o ritmo biológico do nosso organismo. Muitos lidam bem com essa diminuição, outros sofrem muito com essa alteração.

Nos meses de março, abril e maio pela diminuição da luminosidade o corpo começa a produzir mais melatonina, este é o hormônio do sono que nos permite dormir bem e realizar todas as funções necessárias durante o sono. O problema é que seu aumento pode gerar depressão sazonal.

A denominação sazonal é feita, pois esta depressão ocorre somente neste período do ano para algumas pessoas, mas você pode estar se perguntando e se eu já sou depressiva (o) o que pode acontecer comigo nestes meses?

Pessoas já depressivas devem ficar muito atentas nestes meses, pois os sintomas da doença podem aumentar, o sentimento de angustia piora, muitos buscam se isolar ainda mais, a atividade física é abandonada, a compulsão alimentar aumenta o consumo de alimentos ricos em açúcar, gordura e estimulante dispara neste período, mas de todos os sintomas o mais perigoso é o aumento do potencial suicida.

Precisamos ter atenção neste período do ano, aqueles que são depressivos devem estar mais próximos do seu médico e se perceber que a dose do medicamento não está resolvendo o caso comunique-o o mais rápido possível para fazer os ajustes necessários.

Para os que não são depressivos fique atento aos seguintes sintomas:

• Sonolência excessiva principalmente no final de tarde
• Falta de energia e prostração geralmente ao final do dia
• Maior nível de irritabilidade ao acordar
• Falta de concentração e memorização
• Aumento da fome principalmente depois das 17h
• Maior desejo de comer alimentos calóricos ricos em gordura, açúcar e estimulantes – como exemplo podemos citar o chocolate, café, chá mate e frituras

Estes sinais podem indicar que a depressão sazonal pode estar se instalando, muitos sofrem todos os anos deste problema, mas nunca fizeram o tratamento, pois não foi feito o diagnóstico da doença.

Esta depressão precisa ser tratada como tal, muitas vezes se fazendo necessário o uso de antidepressivos, mas vejamos quais são as mudanças no estilo de vida que podemos fazer para passar bem neste período do ano:

• Verifique seu nível de vitamina D na corrente sanguínea, com a diminuição da luminosidade haverá uma menor produção de vitamina D mesmo que você esteja se expondo ao sol e na maioria dos casos é necessário fazer uma correção. Veja com o seu médico a dose que será necessária ingerir, eu suplemento meus pacientes com dose de até 7.000 UI quando eles estão com sua vitamina D abaixo de 30ng/dL de sangue. Essa suplementação é feita por 3 meses e repete-se o exame para decidirmos os próximos passos
• Se não estiver fazendo uma atividade física comece o mais cedo possível, independente de que tipo de atividade física você escolher vai receber os benefícios, mas se puder fazê-la ao ar livre pela manhã se expondo aos raios solares vai ajudar muito a evitar o problema ou melhorar os sintomas da depressão
• Aumente a ingestão de alimentos fontes de triptofano pela manhã – bons exemplos são: castanha de caju, castanha do Brasil (antiga castanha do Pará), avelã, banana, mel, grão de bico (este pode ser consumido na forma de Homus com pão integral), amendoim e tâmaras
• Seu intestino precisa funcionar bem já que a serotonina hormônio do bom humor é produzido no intestino, por isso aumente a ingestão de fibras e água, faça exercício, respeite seu horário de dormir, faça refeições com um bom volume de alimentos, comer várias vezes ao dia e em pequenas porções afeta o funcionamento intestinal

Seguindo estas dicas você pode passar muito bem por este período crítico do ano, mas não deixe de procurar um médico caso identifique os sintomas citados acima.

A diminuição da luminosidade acontece também nos estados onde não faz frio por isso vale o alerta.

Foto: Shutterstock

Assinatura-Ricardo-Vargas_021

0 Comentários
Deixe o seu comentário!